Sábado, 23 de Fevereiro de 2008

Get Up and Play

Há dias estava sentado a tomar o pequeno-almoço, e vi um anúncio genial.
O anúncio em si pertence a uma marca de detergentes, mas apesar disso, não deixa de ser extremamente bem concebido.
Começa com um cão que esta no quintal a brincar a chuva, e vem para dentro de casa. O cão ao entrar dentro de casa sacode-se, e a sujidade vai para cima de um pequeno robô, que, com a curiosidade acaba por também sair para a rua, e sujar-se e assim se transforma num menino.

Ora, ao ver este anúncio pus-me a pensar nas diferenças entre o tempo em que eu era miúdo, e a infância que as crianças têm agora.

Hoje em dia as crianças vêm tanta televisão que eu já costumo dizer que é a televisão que cria as crianças. Sabem os nomes todos das novelas, das personagens, as musicas, etc. Até já se vestem como as personagens favoritas.

Passam horas a fio enfiados nos computadores, a jogar consola, a jogar no telemóvel, etc. Atingimos um ponto, onde um miúdo com 10 anos, já exige, e tem, um telemóvel topo de gama.

E o pior de tudo é que os pais até preferem assim. Passam horas a fio a trabalhar, em trabalhos que odeiam, e depois, para terem paz e sossego em casa, preferem terem os miúdos com a cara enfiada na televisão.

Outros dizem que é para afastar as crianças dos perigos que existem no exterior. Mas todos sabem que os problemas podem ir ter com as crianças a casa. Prova disso são os casos de pedófilos na Internet a falar com crianças em programas de chat sem qualquer protecção ou supervisão dos pais.

Tenho saudades do tempo em que para sermos felizes nos bastavam 2 pedras para fazer a baliza, e uma bola de futebol, ou até mesmo uma lata. E o campo normalmente era a estrada. Saudades do tempo em nos esfolávamos, tempo em que podíamos dizer que vivíamos.

Ainda nem sabíamos o que era um computador e também não precisávamos. Precisávamos era uns dos outros, precisávamos de um pau para fazer de pistola, de um berlinde para passar horas a fio a jogar ou talvez nem precisasse-mos de nada, porque a nossa imaginação muitas vezes chegava.

Deixem as crianças correr, saltar, gritar, partir, sujar, explorar….porque elas são isso mesmo, são crianças e não robôs.
publicado por Jorge Miguel às 16:10
link | favorito
De macho sem noção a 23 de Fevereiro de 2008 às 18:02
Uma observação muito real, sem sombra de dúvida!

É notório e vergonhoso o modo com o qual a sociedade esta moldando seus futuros integrantes, o resultado começa-se a ver na educação e falta de respeito das crianças de hoje (não só apenas na relação com os mais velhos).

e a culpa disso é dos pais, pois NÃO BASTA por um filho no mundo, por que a sociedade assim dita (que um casal tem que ter filhos) e depois comprar o sossego ao dar a criança prendas para esta os deixar "em paz", como diria uma antiga publicidade "não basta ser pai, tem que participa..."

para ver a publicidade :

http://www.youtube.com/watch?v=FMlCO68SQZk&feature=related
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Chamem a policia

. Espelho meu, espelho meu

. "Movido a Vontade de Vend...

. Policias á portuguesa

. Sexo, drogas e rock & rol...

. Get Up and Play

. Valentine's Day

. Ultima Hora......

. Repensar o natal

. Macacos me mordam

.arquivos

. Junho 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds